Área reservada

ASJP - Associação Sindical dos Juízes Portugueses

Patrão das Secretas na lista para o Supremo

Patrão das Secretas na lista para o Supremo

JUSTIÇA

Líder das Secretas na lista para o Supremo

CONCURSO – Procurador José Luís Lopes da Mota, que foi punido por pressões, também concorre JUÍZES Rui Rangel é um dos 41 desembargadores, numa lista que tem um total de 57 candidatos

ANA LUÍSA NASCIMENTO

O secretário-geral do Sistema de Informações da República Portuguesa (SIRP), Júlio Pereira, que está há vários anos afastado dos tribunais , é um dos sete procuradores-gerais adjuntos candidatos ao Supremo Tribunal de Justiça.

Outro dos procuradores é Lopes da Mota, que foi punido por pressões no caso Freeport e reabilitado esta semana pelo Conselho Superior do Ministério Público (ver caixa)..

Tal como o CM já tinha noticiado, entre os 41 desembargadores candidatos ao 15° Concurso Curricular de acesso ao Supremo Tribunal de Justiça encontra-se Rui Rangel, que está a ser investigado no caso Rota do Atlântico, que envolve José Veiga, e enfrenta um processo disciplinar. Além dos juízes, há sete procuradores e nove juristas que se candidatam à mais alta instância judicial, num total de 57 candidatos porcada cinco vagas abertas entram três desembargadores, um procurador e um jurista de mérito. São admitidos automaticamente ao concurso todos os magistrados que reunam o tempo de antiguidade exigido, exceto se renunciarem.

Com 63 anos, Júlio Pereira começou a carreira no Ministério Público, mas pouco tempo passou nos tribunais, estando há vários anos em sucessivas comissões de serviço. Está na chefia das Secretas desde 2005, quando foi nomeado para o cargo pelo então primeiro-ministro José Sócrates, e já tinha passado pelo SIS – Sistema de Informações de Segurança.Antes foi diretor do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e entre 1985 e 1995 esteve em Macau.

Lopes da Mota reabilitado após sanção O Conselho Superior do Ministério Público concedeu esta semana a reabilitação a Lopes da Mota, o que “traduz o reconhecimento da boa conduta posterior à sanção disciplinar”, mas não a anula. O procurador cumpriu 30 dias de suspensão por pressões no Freeport.

Correio Manhã | Sábado, 28 Janeiro 2017

Artigos Relacionados